Home » Humanização e Humanidades em Medicina by Izabel Cristina Rios
Humanização e Humanidades em Medicina Izabel Cristina Rios

Humanização e Humanidades em Medicina

Izabel Cristina Rios

Published 2012
ISBN : 9788539302604
Paperback
296 pages
Enter the sum

 About the Book 

De que modo os fundamentos da sociedade contemporânea refletem-se na formação dos médicos? Qual seria a razão mais profunda da flagrante resistência de estudantes e professores ao ensino de matérias de humanidades nos cursos de Medicina no Brasil,MoreDe que modo os fundamentos da sociedade contemporânea refletem-se na formação dos médicos? Qual seria a razão mais profunda da flagrante resistência de estudantes e professores ao ensino de matérias de humanidades nos cursos de Medicina no Brasil, que as contempla em suas diretrizes curriculares? Como alunos e docentes percebem e avaliam a humanização nas relações médicas?As médicas Izabel Cristina Rios e Lilia Blima Schraiber trazem, neste livro, uma expressiva contribuição para esse debate. Amparadas em autores da Psicanálise, Antropologia, Saúde Coletiva, Filosofia e Sociologia, elas apresentam aqui um estudo de caso aprofundado da comunidade acadêmica de uma escola médica paulista exemplar do cenário usual de ensino-aprendizagem no país. As entrevistas desnudam o modo como a comunidade compreende e abraça ou rejeita a humanização em medicina, revelando conceitos, preconceitos e comportamentos de certo modo já estabelecidos, que têm comprometido as tentativas nessa direção.As autoras relacionam o cenário que emergiu do estudo à estrutura pedagógica (que reforçaria a resistência às matérias de humanidades) e à própria formação médica, essencialmente centrada na competência técnico-científica em seu modelo mais tecnicista. E mostram que tal enfoque está no cerne da redução das subjetividades na prática assistencial, já limitada à uma “relação” entre instituição e doença em substituição à tradicional relação médico-paciente.“Mais do que a aquisição de conteúdos, o aluno desenvolve um jeito de ser médico a partir das vivências subjetivas do encontro pedagógico, absorvendo a ‘teia de significados’ que é a cultura profissional”, afirmam as autoras. Para elas, essa cultura deriva do modocomo a subjetividade contemporânea, marcada por grande desenvolvimento científico e tecnológico, descrença nos movimentos coletivos e pela exacerbação do eu, molda as relações, inclusive na área de saúde.